7.03.2016




Há abraços que te abraçam inteira.
Há abraços feitos de mãos a chamar-te, a segurar-te.
Há abraços feitos de olhos a olhar-te, a ler-te, até de olhos fechados.
Há abraços feitos de corpos a fundir-se, de almas a sorrir-se.
Há abraços feitos de respirações e corações compassados.
Há abraços feitos de sossego, de cura.
Há abraços feitos de mundo.
E há, o teu abraço!


***

muito se tem falado sobre a lei da atracção. há quem acredite, há quem pense que é só mais uma moda. comigo, funcionou.

pedi à minha mãe, durante muitos anos, um irmão mais velho. ou um cão. o cão, recebi-o num tão terno natal e, como a minha mãe não me poderia dar um irmão mais velho, deu-me uma irmã [mais nova, claro] pequenina, linda...

eu fiquei feliz, claro. mas... aquela falta, um estranho quê no meu coração, insistia em permanecer. como um vazio, um nada que precisava ser preenchido.

há alguns anos, um passarinho bateu à minha janela, com o seu delicado biquinho. trazia uma boa nova: eu tinha uma irmã mais velha!

há quem não entenda esta sensação de a conhecer há décadas, apesar de a ter conhecido só há tão pouco tempo. também há quem julgue, somente pelo facto, de tê-la conhecido aqui, neste mundo virtual.

no entanto, é assim... conheço-a desde sempre e sinto-a como parte de mim. penso nela todos os dias e não me durmo sem lhe enviar um beijinho de bons-sonhos [quando fecho os olhos, antes de adormecer].

uma sensação estranha[não nego], porém,
calorosa,
calma,
terna...
azul!

sinto tanto a sua falta... adoraria que vivesse mais pertinho de mim. pode ser que um dia, isso aconteça. hoje, resta-me esperar ansiosa... pelo dia em que iremos estar, finalmente, juntas...

até lá...

resta-me um até de repente...

Sem comentários: