3.26.2015

| dos dilemas...


há dias assim, cinzentos. e, mesmo tendo a consciência que o sol brilha à semelhança dos dias ensolarados, não conseguimos ver para lá da escuridão. hoje, para mim, o dia está escuro e triste. e por mais que eu pratique o "lado b" da vida, sinto-me a perder as forças. 

viver em sociedade é demasiado complicado para mim. já foi o tempo em que tinha paciência de jó e aturava tudo de terceiros. hoje, essa paciência está, cada vez, mais mirrada... e, o mais grave: definha-se de dia para dia.

pergunto-me até quando. até quando é que terei a paciência necessária para viver em comunhão com terceiros...

eu já fui só (sozinha não solitária, leia-se). perdão, eu e a luna já fomos sós. e bastávamos. não é que eu não goste de privar com as pessoas que me rodeiam. muito pelo contrário. o problema é a minha falta de paciência para pessoas de mal com a vida que, ao invés de tentarem resolver os seus problemas, vivem em prol de atormentar, o mais possível, a existência daquele que se encontra mais próximo.   

eu tenho alguns problemas de saúde que, com o tempo, aprendi a controlar. uma das maneiras de controlar as crises, é praticar o tal "lado b" da vida. nem sempre fui assim. mas a doença é sábia e quando aparece, tem como agenda, ensinar-nos. cabe-nos aprender, ou não. eu aprendi, da forma mais dolorosa possível. mas aprendi.

aprendi a ver com olhos de ver e a agradecer com sentimento, todas as bênçãos. a vida é, de facto, tão maravilhosa... e sinto-me tão abençoada, tão grata por tudo aquilo que consegui...

o problema, aqui, são os outros. não aprendem nem querem aprender. e também não aceitam qualquer tipo de ajuda. preferem enveredar por outro caminho: infernizar a vida, aos que os rodeiam, como se isso, lhes alimentasse, de alguma forma, a sua alma vazia e ressentida. e, com estas atitudes, sobram para o desgraçado que está, ao lado, as crises, as dores, as doenças.

e resta, assim, o dilema: ficamos ou partimos?

...

1 comentário:

Fê blue bird disse...

Ficar e lutar sempre !
Só tenho pena de não te poder dar um pouco mais de mim...
Coragem mana linda!
Estou sempre aqui...contigo, em silêncio... zelando.

um beijo