1.14.2015

| pessoas assim ♥


@ cheires

todos os almoços deveriam ser assim, com trocas de abraços apertados, sentidos, genuínos. abraços verdadeiros, como todos deveriam ser. perfeitos. 

infelizmente, há abraços em que, mesmo que queiramos muito que tal não aconteça, sente-se uma espécie de parede invisível, intransponível a qualquer sentimento bom. uma parede, embora invisível, opaca de dor e tristeza. e por mais que trabalhemos as mágoas do passado, simplesmente há coisas que não conseguimos esquecer, ultrapassar.

há muito tempo que não sentia abraços, como aqueles que senti hoje. e foi bom, muito bom. sentir uma energia assim, capaz de recarregar-nos de sol quente, tão quentinho...

ainda não me despedi, mas já sinto saudade. desse abraço, que sei ser, sincero. tanto da minha parte, como da parte de cada um deles: a minha priminha lena, o priminho joquinha e as minhas pequeninas, a nani e a beta. as minhas pessoas. aqueles que, nos momentos de dor, há muitos, muitos anos atrás (ainda ontem), não necessitaram de provas médicas, em como eu estava doente. não esperaram um diagnóstico, que demorava (como demorava...), para me darem colo, para me embalarem... simplesmente, acreditaram. e isso é amor. amor verdadeiro sem quê nem porquê. porque quando se ama de verdade, as perguntas se escusam.  

há coisas que não se esquecem. 
o amor não se esquece 



Sem comentários: